quinta-feira ,21 setembro 2017
Home / Comércio local / Aumento é de 8,2% em relação a 2015. Minas Gerais respondeu por 13,8% do PIB do agronegócio brasileiro

Aumento é de 8,2% em relação a 2015. Minas Gerais respondeu por 13,8% do PIB do agronegócio brasileiro

O PIB do agronegócio mineiro fechou o ano de 2016 com alta de 8,2% em relação a 2015, alcançando o valor bruto de R$ 204,43 bilhões (a preços de dezembro). O estado respondeu por 13,8% do PIB do agronegócio brasileiro.

Os dados fazem parte do levantamento elaborado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, e foi analisado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) em parceria com a Faemg e o Senar/MG.

O PIB do agronegócio mineiro representa a soma das riquezas do setor de quatro grupos: produção básica (setor primário), que respondeu por 37,8% do montante; setor de serviços (30,8%), indústria (25,7%), e de insumos (5,7%).

Em relação ao segmento primário, a agricultura teve um peso maior na composição do PIB mineiro. Do valor total obtido estima-se que R$ 113,30 bilhões (55,4%) sejam resultantes desse segmento e 44,6% obtidos pela pecuária, somando R$ 91,13 bilhões.

Na avaliação do secretário de Agricultura, Pedro Leitão, o agronegócio contribuiu para que a retração da economia não fosse ainda maior. “O PIB nacional apresentou recuo de 3,6%, além da queda no nível de emprego e, mais uma vez, o campo assume a sua responsabilidade na geração de emprego e renda do país. Enquanto o PIB do agro mineiro cresceu mais de 8%, o brasileiro aumentou aproximadamente 4,4% no ano passado”.

Ao longo do ano, o segmento primário da agricultura apresentou crescimento significativo em preços reais (13,0%) e quantidade (17,3%). Destaca-se o desempenho do café, com grande crescimento em produção no ano (36,4%), sendo este o produto com maior participação nesse segmento no estado.

No segmento primário da pecuária, enquanto a avicultura acumula resultados positivos, bovinos e suínos estiveram em baixa. Tal fato reflete, em certa medida, a substituição do consumo de proteínas mais caras pelas de menor valor.

No segmento industrial, o setor sucroenergético foi destaque no ano passado, beneficiado pelo alto

Fonte:Governo de Minas

Você pode Gostar de:

Minas Gerais publica mais um lote de nomeações de 2.250 servidores para a Educação

Com a nova publicação, na edição deste sábado (24/6) do Diário Oficial, número de nomeados …

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *