sexta-feira ,20 abril 2018
Home / Esporte / Victor brilha, Atlético vence Figueirense nos pênaltis e avança na Copa do Brasil

Victor brilha, Atlético vence Figueirense nos pênaltis e avança na Copa do Brasil

O Atlético está classificado para a quarta fase da Copa do Brasil. Mas foi no sufoco. Após vencer por 1 a 0 em Florianópolis, parecia que a partida seria tranquila para o Galo, no Independência, nesta quarta-feira. Porém, os mineiros jogaram mal e o Figueirense venceu por 2 a 1 no tempo normal levando a decisão para os pênaltis, já que o critério do gol qualificado não vale mais neste ano no torneio. No entanto, apareceu a estrela do goleiro Victor, que se redimiu após a falha no primeiro gol dos catarinenses na etapa inicial e defendeu duas cobranças dando a classificação ao Galo, que ganhou por 4 a 2 nas penalidades.

Zé Antônio abriu placar para o Figueirense aos 21 minutos do primeiro tempo em cobrança de falta. Ricardo Oliveira empatou para o Atlético quatro minutos depois. Na etapa final, Jorge Henrique marcou o segundo dos catarinenses.

Ainda em luto após a morte do diretor de administração e controle do clube, Bebeto de Freitas, o Atlético homenageou o dirigente. Os jogadores atuaram com o nome de Bebeto no uniforme todo preto, o terceiro da equipe. Bebeto de Freitas faleceu nessa terça após sofrer parada cardíaca nas dependências da Cidade do Galo pouco depois do lançamento do time de futebol americano, o Galo FA.

Com a classificação, o Atlético recebe R$ 1,8 milhão. Somado aos R$ 3,6 milhões já embolsados pelas classificações nas duas primeiras fases, o clube alvinegro acumula R$ 5,6 milhões em premiações no torneio.

O adversário do Atlético na quarta fase será definido por sorteio, que será realizado na próxima segunda-feira (19), às 11h, na sede da CBF. Em seguida, às 12h, será feito, no mesmo local, o sorteio para definição dos mandos de campo.

Agora, o Atlético volta as atenções para os duelos eliminatórios do Campeonato Mineiro. No próximo domingo, às 16h, a equipe alvinegra enfrenta a URT, no Independência, em jogo único das quartas de final do Estadual.

O jogo

O Figueirense perdeu um jogador logo com três minutos de jogo. O zagueiro Cleberson sentiu uma lesão muscular e precisou ser substituído por Eduardo. Apesar da baixa inicial, o time catarinense começou bem a partida e aparecendo mais vezes no ataque.

Aos dez minutos, Diego Renan cobrou falta para a área, Zé Antônio tentou o desvio, mas a bola passou direto. No meio do bolo de jogadores, Victor saiu para defender de manchete. A zaga atleticana não deu rebote e tirou para escanteio.

O Atlético se mostrava ansioso em campo e não conseguia sair jogando. Toda hora a bola voltava para os pés do time catarinense.

Aos poucos, o Figueirense aumentava a pressão até que conseguiu abrir o placar aos 21 minutos em cobrança de falta. Zé Antônio soltou uma bomba da intermediária e acertou o meio do gol. Victor pulou, mas não conseguiu espalmar, falhando no lance. Com o resultado a decisão estava indo para os pênaltis.

Mas o Galo respondeu rápido e empatou. Arouca tentou passe para Ricardo Oliveira, mas a bola bateu em um jogador do Figueira e acabou sobrando para Adilson, que achou o centroavante livre na área. O camisa 9, que estava na mesma linha da defesa adversária, dominou e bateu cruzado no cantinho. Tudo igual no Horto. A vaga voltava para as mãos do Atlético.

Ricardo Oliveira estava inspirado e quase desempatou para o Galo aos 30 minutos. O atacante recebeu na entrada da área e emendou. A bola foi no ângulo, mas o goleiro Dênis voou para salvar.

Aos 35, o Atlético reclamou de um pênalti em cima de Gabriel, que se chocou com Betinho na área após lançamento de Otero. O árbitro mandou o jogo seguir.

Na etapa final, o Atlético passou a ficar mais tempo com a bola, porém sem levar muito perigo à meta do Figueirense.

Diferentemente do primeiro tempo, o Figueirense tinha menos liberdade e encontrava dificuldades para entrar na defesa atleticana.

Mas, aos 25 minutos, na primeira descida, a equipe visitante aproveitou um vacilo da zaga alvinegra para passar na frente no placar novamente. André Luis fez o pivô dentro da área com a marcação de Léo Silva. O capitão alvinegro caiu no chão e tentou tirar a bola, mas acabou dando um passe para Jorge Henrique, que só aproveitou para finalizar para as redes. Com o resultado, a decisão iria para os pênaltis.

Após sofrer o gol, o Atlético partiu para o ataque desordenadamente e deixava, de forma perigosa, espaços para contra-ataques do Figueirense. Para a sorte do Galo, os visitantes não conseguiram encaixar nenhum contragolpe. Os catarinenses se limitaram a ficar na defesa para levar a decisão para os pênaltis.

Atlético 1 (4) x (2) 2 Figueirense

Atlético: Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel (Iago Maidana) e Fábio Santos; Adilson, Arouca, Otero (Tomás Andrade), Cazares e Róger Guedes (Luan); Ricardo Oliveira. Técnico: Thiago Larghi

Figueirense: Denis; Diego Renan, Nogueira, Cleberson (Eduardo) e Guilherme Lazaroni; Zé Antônio, Betinho (Pereira), Gustavo Ferrareis e Jorge Henrique; Maikon Leite (Cedrón) e André Luís. Técnico: Milton Cruz

Motivo: jogo de volta – 3ª fase da Copa do Brasil
Data: 14 de março de 2018, quarta-feira, às 21h45
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Zé Antônio (21’/1º), Ricardo Oliveira (25’/1º), Jorge Henrique (25’/2º)

Cartão Amarelo: Gustavo Ferrareis, Jorge Henrique (Figueirense); Leonardo Silva, Ricardo Oliveira (Atlético)

Árbitro: Dyorgines Jose Padovani de Andrade (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Vanderson Antonio Zanotti (ES)

Público: 15.169
Renda: R$ 199.445,00

Fonte:http://www.itatiaia.com.br

Você pode Gostar de:

Prisão em Segunda Instância já era, Gol da defesa de Lula

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) formularam, com a curadoria do ex-ministro da Corte …

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *